Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Tempo Esse Grande Escultor

Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...

O Tempo Esse Grande Escultor

Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...

Domingo de Ramos na Aldeia

Cristina Ribeiro, 28.03.10

 

« O povo acolheu Jesus saudando-o com ramos de oliveiras e palmeiras ».

 

 

Levantávamo-nos cedo para colher da grande oliveira do largo um ramo, que levávamos à igreja. Na missa do dia em que começa a Semana Santa, no momento em que o padre dizia " vou proceder à bênção dos ramos ", via-se nas mãos das crianças, que então éramos, um mar de folhagem, bem acima das nossas cabeças.

Finda a missa, levávamos os ramos benzidos, guardando-os até que as trovoadas nos faziam ir buscá-los, pois era com este símbolo da entrada de Jesus em Jerusalém, que rezávamos a Santa Bárbara, para, como dizia a mãe, " nos livrasse de perigos ".

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.