Quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

 

percorri há tempos este caminho " emparedado de verde", nas palavras da Patti. Havia muito tempo já que me andava a prometer este passeio, este regresso. Palmilhei-o, pelo menos duas vezes por dia, durante anos. Era o caminho até à Escola. Mas como a avó morava paredes meias com aquela, era frequente pisá-lo várias vezes no mesmo dia. Por trás do muro está uma quinta. De uns senhores de Lisboa, agora quase abandonada, na altura era de uma exuberância frondosa, um atractivo tão grande, que nos levava a tentar trepar as velhas pedras, com ervas a sair das gretas, intento conseguido se acaso ia a passar um adulto, que nos pegava ao colo- então, o felizardo que espreitara contava aos outros as maravilhas que vira: a casa com azulejos muito antigos, as pessoas- a grande parte das vezes, só o caseiro e família- , as muitas flores. Encontrei algumas diferenças, que o tempo não passa sem deixar marcas Antes do mais, a terra batida dera lugar a um chão coberto de paralelepípedos, pelo que já não se viam as covas, tão familiares, onde chapinhávamos sempre que chovia. Apesar de ser Primavera, no muro não se viam as flores roxas,e nas bermas não vi as leitugas que, regularmente, alguém cortava com a foicinha para saciar os coelhos.Apenas ervas daninhas, que cresciam desordenadas. Mas nem a falta destes pequenos encantos escamoteava.a beleza do " Caminho da Escola "

 

 


tags:

publicado por Cristina Ribeiro às 23:20
Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...
mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
18
20
21

22
25
27



links
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO