Sexta-feira, 09 de Outubro de 2009

"Sem sono, Clarissa debruça-se à janela. A noite está clara. Refrescou. Uma lua enorme, cheia, muito clara. Os quintais estão raiados de sombra e de luz, parece que o disco da lua se enredou entre a ramagem folhuda do plátano grande no quintal onde D. Tatá morava. O relógio na sala bate onze horas." Foi no primeiro ano do Secundário que pela primeira vez contactei com a escrita deste autor, num texto que se intitularia- é essa a lembrança que tenho-"Clarissa e o raio de sol", e que me levou a adquirir o que, soube depois, foi o primeiro romance desse escritor brasileiro. Era uma prosa poética e de um enredo atraente, que me fez devorá-lo num ápice... Mais tarde viriam outros livros seus...

 

 

 

 Abril de 2008



publicado por Cristina Ribeiro às 21:08
Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...
mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15


31


links
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO