Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Tempo Esse Grande Escultor

Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...

O Tempo Esse Grande Escultor

Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...

Estava tanto frio. E lembrou ter o pai contado, numa noite fria assim,

Cristina Ribeiro, 19.12.10

 

 

 

que um burrinho ajudara a aquecer aquele menino que há muito tempo havia nascido em Belém, lá longe, num país desconhecido, mas o menino, esse, conhecia-o ele, pois que todos os anos, em noites frias assim, ficava lá em casa deitado numa caminha de palha que o pai lhe arranjava, pertinho da lareira, onde o frio não entrava. Tinha agora de fazer o mesmo pelo Castanho, o burro que lá no curral, junto ao gado que todos os dias pastoreava, devia estar a tremer de frio; o Castanho tão amigo, que o olhava com aqueles olhos tão meigos...

Levantou-se, e depois de trocar um olhar cúmplice com o menino na caminha de palha, foi buscar uma manta: o Castanho ia ficar quentinho.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.