Domingo, 11 de Outubro de 2009

 

 

 

Situado pelos antigos nos Campos Elísios, dada a luxúria da envolvência natural, que fazia daquela uma região habitada pelos bem aventurados, queridos dos deuses, foi identificado pelos romanos como o rio do esquecimento, pois que o ver tanta beleza fazia com que qualquer ser humano esquecesse tudo o mais, como o fez, na História Natural, Plínio, o Moço, do que o poeta Diogo Bernardes faz eco, quando escreve «Junto ao Lima claro e fresco rio, Que Lethes se chamou antigamente»

 

Foi cantado por outros poetas, como António Feijó, também ele ali nascido :

«Nasci à beira do rio Lima, Rio saudoso, todo cristal.

Daí a angústia que me vitima,

Daí deriva todo o meu mal.

É que nas terras que tenho visto,

 Por toda a parte onde andei,

 Nunca achei nada mais imprevisto,

 Terra mais linda nunca encontrei.

 São águas claras sempre cantando,

 Verdes colinas, alvor de areia, Brancas ermidas, fontes chorando,

Na tremulina da lua cheia.»

 

 



publicado por Cristina Ribeiro às 22:01
Um arquivo dos postais que vou deixando no Estado Sentido, mas também um sítio onde escrever outras coisas minhas..Sem Sitemeter, porque pretende ser apenas um Diário, um registo de pequenas memórias...
mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15


31


links
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO